12 de dezembro de 2007

JESUS NASCEU NO DIA 25 DE DEZEMBRO?

Nota do Editor: Esse artigo foi adaptado do escrito de Ralph Woodrow “O Natal Reconsiderado” (pgs 23-40). As notas do editor são de Sydney Cleveland. Qual é a data do nascimento de Cristo?

PRIMEIRA POSSIBILIDADE : CRISTO NASCEU NO OUTONO DURANTE A FESTA DOS TABERNÁCULOS.
Esse ponto de vista parece ter bons argumentos dos quais citamos alguns abaixo:

Jesus foi crucificado na época da Páscoa que acontece na Primavera: “É costume entre vós que eu vos solte alguém por ocasião da Páscoa” (Jo 18.39). Se imaginarmos que Seu ministério público durou exatamente três anos e meio, isso colocaria o inicio do Seu ministério no Outono daquele ano. Naquela ocasião Ele “tinha cerca de trinta anos ao começar Seu ministério” (Lc 3.23). (Com 25 anos os sacerdotes da família de Aarão iniciavam seu treinamento e aos trinta anos eles começavam a ministrar no Templo – veja Nm 4.3,47 – Nota do Tradutor). Isso indica que Seu nascimento foi no Outono (setembro-outubro). (Nota: Se o ministério de Jesus durou três anos e meio e Sua crucificação aconteceu no dia da Páscoa, então não resta dúvida de que Seu nascimento aconteceu no Outono durante a Festa dos Tabernáculos. Façamos o seguinte cálculo: A crucificação se deu na Primavera – durante a Páscoa – por volta de Abril. Jesus tinha então trinta e três anos e meio.

Nascimento: no Outono, na Festa dos Tabernáculos, mês de Outubro
Duração do Seu ministério: Três anos e meio
Crucificação: na Primavera, na Festa da Páscoa, mês de Abril
Sua idade nessa ocasião: Trinta e três anos e seis meses

Cálculo final: A partir de Abril retornemos seis meses referentes à metade do quarto ano do ministério de Jesus: março, fevereiro, janeiro, dezembro, novembro e OUTUBRO, QUE ERA O MÊS DA FESTA DOS TABERNÁCULOS, QUANDO JESUS NASCEU.

Outro ponto forte desse argumento é baseado no tempo do ministério de Zacarias no Templo. Havia vinte e quatro divisões ou turnos dos sacerdotes que ministravam (1Cron 24.7-19). Segundo Josefus, cada turno ministrava “oito dias, de sábado a sábado” (Antiguidades dos Judeus, livro 7, 14.7; compare com 2Cron 23.8).

Zacarias que pertencia à divisão sacerdotal de Abias (Lc 1.5,8) seria o oitavo a servir na seqüência. Admitindo que o primeiro turno iniciou seu serviço no primeiro mês (judaico), no inicio da Primavera, o turno de Zacarias caiu no início do mês de Junho. Nessa ocasião “aconteceu que, exercendo ele (Zacarias) diante de Deus o sacerdócio na ordem do seu turno” (Lc 1.8), um anjo revelou que ele teria um filho, a despeito da sua idade avançada. Depois do seu tempo de serviço ele retornou para sua casa e sua esposa Isabel concebeu. Acrescentando nove meses veremos que o nascimento de João Batista aconteceu no principio da Primavera. Ora, Jesus nasceu seis meses depois de João: “Passados esses dias, Isabel, sua mulher, concebeu e ocultou-se por cinco meses – No sexto mês, foi o anjo Gabriel enviado, da parte de Deus, para uma cidade da Galiléia, chamada Nazaré, a uma virgem desposada com certo homem da casa de Davi, cujo nome era José; a virgem chamava-se Maria” (Lc 1.24, 26, 27). Tais datas colocam o nascimento de Jesus exatamente no Outono – outubro.

Se Jesus nasceu mesmo na época da Festa dos Tabernáculos, isso harmoniza perfeitamente com a declaração de João em seu Evangelho: “E o Verbo Se fez carne e habitou (tabernaculou) entre nós” (Jo 1.14). A palavra Grega para “habitou” é a mesma palavra para “tabernáculo”.

Estas são as razões básicas daqueles que sustentam uma teologia anti-Natal e aceitam que a época do nascimento de Jesus é no Outono do ano durante a Festa dos Tabernáculos.

Nota do Editor: Os leitores devem considerar cuidadosamente que os que crêem na interpretação do nascimento de Jesus no Outono são forçados a ignorar todos os registros históricos e crer que todos os líderes cristãos e historiadores da época estavam envolvidos numa conspiração para falsificar deliberadamente a data do nascimento de Jesus!

OUTRO PONTO: JESUS NASCEU NA FESTA DOS TABERNÁCULOS? E QUANDO ELE FOI CONCEBIDO?

Mas existe algo sobre essa data que comumente tem sido negligenciada, particularmente por aqueles que resistem ao Natal como sendo um feriado pagão comemorando o nascimento de Ninrode em 25 de Dezembro.

Se Jesus nasceu durante a Festa dos Tabernáculos, quando se deu Sua concepção? Contando para trás os 267 dias considerados como o período normal da gestação, a partir da Festa dos Tabernáculo, seremos levados ao dia 25 de Dezembro, ou perto dele, como sendo o período da concepção de Jesus Cristo. Sem a concepção milagrosa de Cristo não poderia haver nascimento nove meses mais tarde. Ele nasceu como os outros nascem – de uma mulher. Mas, diferente de qualquer outra pessoa na história, Ele teve uma concepção milagrosa, sendo concebido pelo Espírito Santo (Lc 1.35). A ocasião da Sua concepção, então, tem sua própria importância singular.

Nota do Editor: Aqueles que se opõem ao nascimento de Cristo no Natal precisam admitir que: (1) Ele foi concebido no dia 25 de Dezembro ou (2) então nasceu no dia 25 de Dezembro. Sendo um ou outro, a razão deles para rejeitar o Natal por ser uma festa pagã força-os a dar mais credibilidade ao paganismo do que a Cristo! Se a concepção milagrosa de Cristo ocorreu dia 25 de Dezembro ou próximo dessa data, talvez isso possa amenizar os sentimentos negativos e até mesmo ressentimentos que alguns têm demonstrado por essa data!

No hemisfério setentrional os dias ficam cada vez menores até por volta do dia 22 de Dezembro e então começam a ficar mais longos – o solstício do inverno. Observando esse fenômeno, alguns povos antigos passaram a pensar nessa época como sendo o nascimento (renascimento) do sol cada ano. Essa época, então, naturalmente seria considerada como um tempo sagrado para aqueles que adoravam os vários deuses sol.

Dezembro é também o tempo quando os judeus celebram o Hanukkah (Dedicação), a Festa das Luzes. Quando o Templo foi novamente dedicado ao culto de Deus, depois da derrota de Antíoco (168 a.C.), a lenda diz que os Macabeus encontraram apenas uma pequena jarra de azeite para o Menorah (candeeiro), suficiente para uma noite apenas. Mas milagrosamente o azeite durou oito dias e por isso foi ordenado que luzes fossem acesas durante as oito noites do Hanukkah.

Nota do Editor: Hanukkah é uma tradição humana que não tem precedente bíblico. Por isso, celebrar o Hanukkah e negligenciar a celebração do nascimento de Cristo parece totalmente absurdo. Lembre-se que o céu inteiro comemorou o nascimento de Cristo, e os anjos encorajaram os pastores a comemorar. Se comemorar o nascimento de Cristo fosse de algum modo “errado”, certamente os anjos do céu teriam permanecido em silêncio naquele dia!

Seria possível que na mesma ocasião que os judeus observavam a Festa das Luzes os pagãos celebrassem um tempo considerado sagrado aos seus deuses-sol, que Aquele que é “a luz do mundo” (Jo 8.12), “a verdadeira luz” (Jo 1.9), “o sol da justiça” (Ml 4.2), “um sol e escudo” (Sl 84.11) foi concebido dentro do ventre de Maria? Se realmente Cristo foi concebido, ou então nasceu no Dia 25 de Dezembro, isso demonstraria mais ainda como Ele excedeu em brilho, ultrapassou e predominantemente substituiu as antigas crenças pagãs precisamente no mesmo dia!

SEGUNDA POSSIBILIDADE:
CRISTO NASCEU DIA 25 DE DEZEMBRO


Hoje, naturalmente, o nascimento de Cristo é comumente comemorado no dia 25 de Dezembro. É possível que esse dia, a despeito daqueles que têm sido muito francos em sua oposição, possa ser realmente a data do nascimento de Cristo? Esse ponto de vista também não fica sem argumentos.

Testemunho de John Crisóstomo – 347-407 d.C.
Ele foi um notável defensor da data de 25 de Dezembro e era um homem humilde e generoso, talvez mais conhecido por seus escritos sobre a Bíblia e a fé cristã. Ele afirmava que a data de 25 de Dezembro tinha fundamento nos registros reais do recenseamento da Santa Família quando se registraram em Belém. Não temos como provar se esses registros ainda existiam ou se eram autênticos, mas Crisóstomo não foi o único a se referir a eles.

Justino Mártir - 100-165 d.C.
Em sua notável Apologia – uma explanação detalhada da fé cristã dirigida ao Imperador Marco Aurélio – afirmou que Jesus nasceu em Belém “como você pode se certificar pelos registros do censo” (Apologia I, 34).

Tertuliano - 160-250 d.C.
Ele falou do “censo de Augusto – aquela mui fiel testemunha do nascimento do Senhor, guardada nos arquivos de Roma” (Contra Marcion, Livro 4. 7).

Cirilo de Jerusalém - 348-386 d.C.
Quando pediu a Julius para determinar a verdadeira data do nascimento de Cristo “pelo documento do recenseamento trazido por Tito a Roma”, Julius determinou o dia 25 de Dezembro.

Testemunho de Cronólogos Judaicos
Nota do Editor: Essa evidência é uma citação do livro “A Vida e os Tempos de Jesus o Messias”: “Um curioso fragmento de evidência chega a nós de uma fonte judaica. Na adição ao Megillath Taanith (ed. Warsh. P. 20 a), o dia 9 de Tebbeth é assinalado como um dia de jejum, e é acrescentado que a razão disso não é declarada. Ora, os cronólogos judaicos fixaram este dia como sendo o dia do nascimento de Cristo, e é digno de nota que, entre os anos 500 e 816 d.C. o dia 25 de Dezembro caiu nada menos que doze vezes no dia 9 de Tebbeth. Se o dia 9 de Tebbeth, ou 25 de Dezembro foi considerado como sendo o nascimento de Cristo, podemos compreender porque ele foi oculto, isto é, o fato dos judeus o chamarem de ‘dia de jejum' e não mencionando o nascimento de Jesus”.

PASTORES NO CAMPO DURANTE O INVERNO?

Afirma-se freqüentemente que os pastores naquela parte do mundo não vivem nos campos durante o meio do inverno, e que por volta de 15 de outubro eles levavam seus rebanhos para casa – anulando assim Dezembro como a época do nascimento de Cristo. Mas isso está longe de ser conclusivo e podem ter acontecido exceções. Que alguns pastores enfrentavam o tempo frio pode ser visto na queixa de Jacó a Labão, quando ele disse que sofreu com as geadas da noite (Gn 31.40).

Alfred Edersheim
Em seu livro “A Vida e os Tempos de Jesus o Messias”, altamente erudito e valorizado, Alfred Edersheim fala sobre o dia 25 de Dezembro: “Não existe razão adequada para questionar a precisão histórica da data de 25 de Dezembro. As objeções geralmente descansam em bases que historicamente me parecem insustentáveis”.

Embora vários escritores tenham citado Lighfoot com respeito aos rebanhos não ficarem ao relento durante os meses do inverno, isso não era verdade sobre todos os rebanhos. Ele cita antigas fontes judaicas para mostrar que alguns rebanhos “permaneciam ao ar livre nos dias muito quentes e na estação das chuvas – isto é, durante todo o ano” (Livro 2, pg 186).

Quando Lucas mencionou os pastores no campo, ele procurou especificar que época do ano era ou não era? Ou poderiam estas palavras sugerir algo diferente: que estes pastores eram muito pobres e viviam no campo com seus rebanhos? Eles podiam não ter abrigo para seus rebanhos ou casas para eles mesmos – a despeito de qual época fosse.

Nota do editor: Durante muitos programas de televisão de Belém na noite de Natal em 1997, 1996, 1995, 1994 etc, eu observei muitos peregrinos na praça e nas ruas usando camisas de manga curta, indicando que o tempo estava aproximadamente em 22 graus centígrados. Cair neve no Natal ou em qualquer outra data em Belém é um acontecimento muitíssimo raro. Ouvi dizer que a neve cai levemente em Belém aproximadamente quatro vezes em cada século. A Bíblia não nos diz a data do nascimento de Cristo. Felizmente não é meu dever, nem tampouco desejo discutir com ninguém sobre algo que a Bíblia não revela. Não posso provar ou rejeitar a data de 25 de Dezembro, mas não vejo razão para sermos incomodados com os detalhes.

Nota do Editor: Os Judeus, os cristãos e todos os documentos históricos concordam que Jesus nasceu no dia 25 de Dezembro. A única razão para rejeitar o fato é sua suposta ligação com o paganismo. Mas quando consideramos que cada dia do ano pode estar ligado de uma forma ou de outra com o paganismo, precisamos fazer alguns perguntas:
O fato de rituais pagãos serem comemorados cada dia da semana levam uma pessoa a desconsiderar os fatos históricos do nascimento de Cristo? Devemos ignorar a Deus no Sábado porque o nome “Dia de Saturno” homenageia o deus pagão Saturno? Devemos pensar apenas em coisas seculares no Domingo porque o nome “Dia do Sol” homenageia o deus pagão sol? É impossível para Deus realizar quaisquer atos sagrados no Sábado ou no Domingo porque estes dias numa época tinham rituais pagãos associados com eles? Exigiríamos que Deus evitasse que Jesus nascesse, visto que em qualquer dia que Ele nascesse alguém encontraria uma razão para ligá-lo com o paganismo? Eu penso que não.

Certamente a fascinação que alguns têm com o paganismo certamente desacredita Cristo e dá extrema credibilidade aos pagãos. Falando de modo geral, os cristãos modernos nunca teriam ouvido falar dos deuses pagãos antigos se não fosse através dessas poucas pessoas que lutam contra o Natal. Mas, rejeitando o Natal eles dão maior gloria dos deuses pagãos do que ao Salvador da humanidade – e no processo eles ignoram inteiramente o nascimento do Salvador.

Autor: Ralph Woodrow
Traduzido por: Delcio Meireles

Amados irmãos em Cristo, achei por bem traduzir esse artigo visando ajudar muitos irmãos que, numa atitude sincera, combatem a data do Natal no dia 25 de Dezembro como sendo simplesmente um produto do paganismo sem Deus. Geralmente ouvimos ou lemos alguém comentando negativamente sobre determinada questão e, sem qualquer exame minucioso e muitas vezes de forma irresponsável, repassamos o que ouvimos ou lemos e ajudamos a espalhar algo que não tem base bíblica. Creio que isso tem acontecido com os que se opõem à data do Natal em 25 de Dezembro. Pelas datas bíblicas apresentadas, não há como negar que Jesus nasceu durante a Festa dos Tabernáculos, ocasião apropriada para a chegada Daquele que veio “fazer Seu Tabernáculo” conosco durante trinta e três anos e meio. Mas, mesmo assim, conforme mostrado no presente estudo, a data de 25 de Dezembro ainda permaneceria, pois para nascer alguém precisa primeiro ser gerado. A contagem regressiva dos dias da gestação de Maria nos leva exatamente para a data de 25 de Dezembro. Então, você, amado irmão, rejeita o nascimento de Jesus no dia 25 de Dezembro? Forçosamente você terá que aceitar que a concepção Dele aconteceu no dia 25 de Dezembro. “Ah, mas essa data é uma festa pagã quando se adora o deus-sol”! Respondo: Que argumento tremendo! Mas, permita-me perguntar: A Quem realmente pertence esse título? Aos pagãos que deturparam quase todas as figuras e símbolos bíblicos, como aconteceu com os próprios Signos do Zodíaco (Jó 38.32)? A Escritura Sagrada não declara que “o Sol da Justiça nascerá trazendo salvação nas suas asas” (Ml 4.2)? E Quem é Esse Sol? Sem qualquer sombra de dúvida é o SENHOR JESUS CRISTO, O NOSSO ADORÁVEL SALVADOR!

Um comentário:

opacato@hotmail.com disse...

Tenho uma opnião bastante controversa sobre o Natal em geral!!
Verdade seja dita, não há como negar o quão especial é essa data, 25 de Dezembro, tanto que, acontecem várias outras coisas no mesmo período. Creio ser mesmo o tempo de concepção do Senhor, um dia, na minha opnião, mais especial até do que o nascimento, já que a vida começa no ventre e não no parto! Porém, o que me constrange é o fato da comemoração do Natal como é feita hoje.
Longe de qualquer crítica ao captalismo envolvido nesse dia, me baseio tão somente no fato de Cristo ser a realidade das sombras do velho testamento, como escrito em Jo 12:24 - "Na verdade, na verdade vos digo que, se o grão de trigo, caindo na terra, não morrer, fica ele só; mas se morrer, dá muito fruto." - Jesus Cristo, o codeiro de Deus, foi enviado a nós para morrer, e a sua ressureição gerou a igreja, nos trazendo também a esperança da glória!!
A festa dos tabernáculos tem por caráter um tempo de reflexão quanto aos tempos difíceis que o povo de Israel passou, ensinando-os a ter esperança e confiança em Deus. Tão verdade é, que os próprios Judeus acreditam que "o messias nasserá em Sucot(nome real da festa dos tebernáculos)". A festa da pascoa simboliza a saída do povo de Israel do domínio do Egito (que simboliza "O Mundo"), e foi justamente no dia que o Senhor Jesus morreu. Da mesma forma que o cordeiro pascoal foi imolado no período Mosaico, Jesus, o cordeiro de Deus, foi morto pelos homens parra a remissão dos seus pecados, e alimento para que possam atravessar o deserto (tempos atuais), até chegar à boa terra (A Jerusalem Celestial).
Essas festas eram celebradas como sombras do que havia de vir: Cl 2:16-17 - "Portanto, ninguém vos julgue pelo comer, ou pelo beber, ou por causa dos dias de festa, ou da lua nova, ou dos sábados, que são sombras das coisas futuras, mas o corpo é de Cristo."
Para mim, a comemoração do natal é uma tradição religiosa completamente humana, fazer uma "ceia de natal", dar e receber presentes, como é feito ano após ano por muitos cristãos, não tem nada a ver com o plano divino!
Festa por festa, há festa nos ceus quando uma pessoa se achega a Deus (Lc 15:10), e esse é o nosso motivo de alegria!
Vemos ainda hoje, sombras no relacionamento de muitos irmãos com Deus, Pessoas que vivem uma dourina exterior, guardando dias, festas, alimentos, que são sombras, e deixando de experimentar da realidade: "Cristo como o alimento vivo que desceu do céu, e através de nos suprirmos de sua presença, somos capazes de viver em santidade, e expressarmos a natureza de Deus que agora está em nós!!
Se Jesus nasceu ou foi concebido no dia 25 de Dezembro, pouco importa, mas comemorar esse dia com tradições humanamente exteriores que nada tem a ver com o plano divino... isso sim deve ser pensado!